Mudança de rota

Então você escolhe um curso/carreira e descobre que aquilo não é para você. Desistir ou continuar?

Escrito por formeieagora

Toda insatisfação vem para nos mostrar que tem alguma coisa errada, que alguma coisa não está de acordo com nossos valores, com quem nós somos ou com o que queremos para a nossa vida.
E, por isso, diante de uma crise, de uma insatisfação é importante repensar, fazer alguns ajustes, recalcular a rota e, as vezes, começar de novo. Nada mais natural, mas que exige muita coragem.

A Ana desistiu de uma faculdade, enfrentou uma depressão, mas no fim ela encontrou um curso e um trabalho que ela adora e compartilhou aqui no Formei, e agora? como ela conseguiu tudo isso e como ela conseguiu ser efetivada na empresa onde ela estagiava!

Conheça a trajetória da Ana:

Quando eu tinha 17 anos, assim como todo mundo tive que escolher o curso pro vestibular. Escolhi arquitetura, afinal na minha família tem muitos engenheiros e arquitetas, nada mais lógico do que continuar no ramo…. Certo?

Errado! Eu odiei arquitetura, fiz 2 anos e durante o 2 ano eu chorava todo dia! Entrei em depressão brabo! O meu discurso diante do curso era “ah, não vou exercer, vou me formar e ser dona de casa”. Nada a ver, né?

Bom, aí começou a saga de escolher o que fazer DE VERDADE. Eu realmente não tinha ideia do que cursar e o clima na minha casa estava péssimo porque eu só chorava, não ia pra aula e meus pais não me deixavam largar a faculdade pra não estudar nada. Nesse período a mãe de uma colega da faculdade estava abrindo uma loja de roupas em um shopping aqui em Curitiba. Eu fiquei 4 meses trabalhando lá entre o período de mudança de curso. Decidi estudar administração.

Por que ADM? Bom… como eu não sabia o que fazer, pensei que no mínimo ia saber administrar a dispensa da minha casa. Aí foi o melhor engano da minha vida, eu AMEI o curso, e sou apaixonada por administração de empresas e empreendedorismo.

Confesso que não achei o curso muito difícil, mas também entrei muito mais madura, aos 20 anos, e reconheço que esses 2 anos de amadurecimento em Arquitetura refletiram no sucesso da minha jornada ao longo da faculdade.

Durante o 2º ano eu entrei no meu primeiro estágio ligado a área em uma multinacional chamada CNH. Pensa numa menina deslumbrada, era eu! Entrei pra estagiar em uma área chama S&OP que fazia o planejamento de demanda das vendas, que refletia na demanda de produção. Uma área estratégica super importante e que me proporcionou aprender sobre a visão comercial da empresa.

Eu tinha o hábito de sempre fazer o link entre a teoria que eu estudava na faculdade, com o que eu via no dia a dia da empresa. Certa vez um professor de recursos humanos estava contando sobre a jornada dele na Sadia e disse que o que fez ele ser promovido a gerente foi o fato de que ele implementou um plano de cargos e salários que foi inovador e organizou algumas coisas que estavam confusas. Ao contar isso ele nos aconselhou “procurem fazer algo inovador que melhore processos e reduza custos, oportunidades estão por ai, é só saber identificá-las”.

E o que a deslumbrada aqui foi fazer? Fui atrás do plano de cargos e salários pra ver se existia, é claro que existia. Ok, fui atrás de entender mais sobre demanda e lead time, aprendi, mas não consegui implementar nada novo nessa área. Enfim, deixei o tempo rolar e sempre observando e ouvindo atentamente os comentários das pessoas que trabalhavam em volta de mim, esperando a oportunidade certa.

Eu era amiga de muitos estagiários na época, e vi alguns serem efetivados e muitos serem dispensados ao final do contrato de 2 anos. Então isso me preocupava muito, pois eu amava o ambiente e a empresa. Um dos estagiários, que é meu amigo até hoje, trabalhava na controladoria e criou um SharePoint para administrar empréstimo de máquinas.

Você sabe o que é um SharePoint? É um sistema oferecido pela Microsoft que cria um site online onde todos podem inserir arquivos de determinado assunto ou projeto e baixá-los, facilitando a comunicação e disponibilidade de arquivos sem estar necessariamente conectado na rede.

Continuando…

Eu tive uma pequena participação no projeto dele, pois eu fazia a gestão das maquinas emprestadas da marca New Holland. Aprendi sobre o SharePoint nessa ocasião. Porém o tempo estava passando, eu já estava com um ano e meio de contrato e sem perspectiva de conseguir uma vaga efetiva. Tomei uma dose de coragem, preparei um discurso e fui falar com o gerente da área. Falei pra ele que eu gostaria de mais responsabilidade, gostaria de uma vaga efetiva e que estava disposta a assumir mais desafios.

O resultado disso? Ele se amarrou. E nesse dia eu aprendi que chefe não tem bola de cristal. Eles percebem as coisas, mas falar pra eles onde vocês querem chegar é fundamental. Alinhar os objetivos e deixar claro quais os passos pra chegar lá. Eu não consegui uma vaga só por que entrei na sala dele e disse que estava afim. Mas ele agora sabia que não era só um estágio pra mim, que eu pretendia seguir na empresa.

Essa conversa foi muito importante, mas mais importante ainda foi a oportunidade de inovação e melhoria que eu percebi na área. Como eu disse, eu estava sempre atenta a tudo que estava acontecendo e realmente usava meu tempo pensando em o que poderia fazer de novo. Escutava muita gente falando que faltava comunicação. Via muitos comerciais tentando negociar pacotes especiais de máquinas antigas e usadas. Lembrei do SharePoint que facilitava a comunicação. E BINGO! Minha grande oportunidade foi criar um SharePoint com o dossiê das máquinas usadas. Dessa forma, os comerciais saberiam quais unidades podiam negociar e exatamente qual a condição e estado em que ela se encontrava, independente se estavam no campo ou na empresa!

Meu gerente adorou a ideia, minha equipe adorou. Teve gente que disse que não ia dar certo, mas no final essa ideia me fez ser efetivada!

Hoje, eu trabalho na área de logística comercial, cuidando dos indicadores de performance e projetos da área. Sou muito apaixonada e só a paixão pelo que a gente faz é que nos leva a ser criativo, a ter comprometimento com o que a gente se propõe a desenvolver.

Fui buscar uma pós graduação em gestão comportamental e o conteúdo que estou aprendendo me prepara para assumir cargos de liderança e gestão de equipe. Implemento todo dia no trabalho a paixão pela teoria da administração e pelo intra-empreendedorismo, forma que encontramos para desenvolvermos melhorias na empresa. Ver o resultado de um projeto pra mim é muito satisfatório e é por isso que eu vou todo dia trabalhar.

Veja que coisa: me formei empregada! Mas não foi de mão beijada, teve muito suor intelectual e dedicação ao objetivo de conseguir me colocar no mercado de trabalho – e permanecer durante a crise, né?

Agora meus planos pro futuro são fazer uma pós em projeto, assumir cargos de liderança sempre visando o meu desenvolvimento pessoal e profissional.
Sem neura, com tempo e dedicação é possível!

Por Ana Cavalcanti

Sobre o autor

formeieagora

Deixe uma resposta